quarta-feira, 9 de abril de 2008

Você conhece a pessoa que cultiva o que você come?

Eu agora conheço. Catherine e Nicolas são um casal jovem, bem mais jovem do que eu havia imaginado. Ano passado eles compraram um terreno na cidade de Frelighsburg, a 94 km de Montreal, realizando o sonho da vida deles que era ter a própria fazenda. Este será o primeiro ano desta fazenda no programa CSA (community supported agriculture), que distribuirá semanalmente as cestas orgânicas para alguns clientes felizardos e orgulhosos, eu entre eles.

Ontem foi o primeiro encontro dos clientes (ou parceiros, como eles preferem dizer) com os "fazendeiros de família". A idéia é a mesma do médico de família, ou seja, de conferir algo tão importante e fundamental (sua saúde, sua alimentação) a alguém que você conhece e em quem você confia. Para mim faz perfeito sentido. Além de ter acesso a legumes e frutas frescos e orgânicos toda semana, além de contribuir para a agricultura local, o esquema das CSA permite que você participe ativamente do processo - honesto, curto e sem intermediários, o oposto do esquema industrial - que vai da terra à sua mesa.

Ontem a vantagem disso tudo ficou absolutamente clara para mim ao ver os olhos de Catherine brilhar quando ela contou que os tomateiros já estavam dando pequenos tomatinhos, apesar do inverno rigoroso deste ano (bom sinal). Nessa hora, não só eu soube o nome da pessoa que cultiva meus alimentos, como eu tive a certeza da sua paixão e envolvimento neste processo. As cestas da minha fazenda de família só começarão a chegar no verão, mas eu mal posso esperar.

No Quebec, o organismo que representa as fazendas de família é o Equiterre (clique no link para saber mais sobre a cesta orgânica). Obrigada, Fer, por me educar sobre as CSA!

6 comentários:

Raquel disse...

Noooossa! Que tudo... Será que tem um negócio desses lá para bandas de Calgary?! rs... Sério, isso é demais, adorei! Já havia lido nos food blogs algo sobre cestas orgânicas mas acho que era nos EUA. Acho que a Fernanda (Chucrute com Salsicha) recebe, não?! Outra coisa: sabia que vc foi uma das que me influenciou a ler o Michael Pollan?! Sério!!! Tô tentando ler o Dilema do Onívoro, digo tentando pois o tempo é curto e o livro, uma bíblia... Mas já estou toda toda!! Só falo em alimentos processados, que não devemos comer isso ou aquilo... Uma certa conciência pelo menos já estou criando...
Um abraço... e boas receitas com as cestas que estão por vir!

Ludmila Carvalho disse...

Oi Raquel, deve ter sim. É só procurar bem procurado que você acha as cestas orgânicas em muitos lugares - aliás, esse esquema já existe há mais de vinte anos e começou lá no Japão.

Sobre o Michael Pollan, fico muito feliz em ter ajudado alguém a se "converter", hehehehe! Detesto a metáfora religiosa, mas é que nesse caso ela se aplica. Não conheço ninguém que não tenha mudado profundamente o modo de pensar sobre alimentação depois de ler o livro. Ele abre os olhos mesmo.

Grande abraço para você também!
Lud

Fabrícia disse...

Lud esse negócio da cesta é algo extraordinário.... Tb conheci a minha fazendeira da família, a Madame Lucie Rioux....ela toca a fazenda sozinha com a ajuda de um dos quatro filhos. Os outros 3 estão na faculdade fazendo agronômia..... A mulher é grandona e ama o que faz. Ela tb falou com tamanha paixão e orgulho de seus produtos que mal posso esperar para minha primeira cesta chegar.
Bjcas.

fezoca disse...

Lud, que maravilha isso tudo, nao? Depois dessa experiencia com a CSA voce nunca mais vai querer voltar aos metodos tradicionais de comprar legumes e verduras. Pagina virada na sua vida! ;-) beijaoo,

Anônimo disse...

Ai, Lud, que del�cia! �tima dica!! Depois, claro, conta pra gente como foram suas experi�ncias com os produtos.

Ainda falta muuuito tempo preu chegar a� mas tenho reunido muitas dicas (�s vezes me perco em meio a tantos links) e as gastron�micas s�o, em sua maioria, daqui.

Beijooooosss e obrigada!

Beijo em Lu tamb�m.

Camila.

Lílian disse...

Muito jóia, Lud!