sábado, 12 de abril de 2008

Bolo de sarraceno


Estava já meio desesperada sem saber o que fazer com um pacote de farinha de sarraceno (buckwheat) que eu comprei para fazer os famosos crepes salgados franceses, ou galettes de sarrasin, quando me deparei com esta receita do Traveler's Lunchbox que me pareceu muito interessante.

Eu comprei essa farinha depois de descobrir que na França e aqui no Quebec os crepes salgados não são feitos com farinha de trigo (como são os crepes doces), mas sim com o sarraceno, que tem por si só um sabor todo especial. Bem que tentei mais de uma vez fazer os crepes, mas não consegui. Da primeira vez não consegui a textura certa, porque o sarraceno é meio pesado e tende a decantar no fundo da vasilha, daí a necessidade de ficar mexendo a massa constantemente. Da segunda vez consegui fazer as panquequinhas, mas me embananei toda na hora de pôr os recheios e mantê-los quentes, foi um fiasco.

Eu geralmente sou grande adepta das adaptações, mas no caso dos crepes acredito que é realmente necessário ter o aparato próprio: aquela chapa que abre bem a massa sem deixar queimar, aquela espátula que espalha tudo numa camada uniforme. E, mais importante, acho que só fica gostoso mesmo comendo na hora, mas se você faz crepes pequeninos (do tamanho de uma frigideira), é praticamente impossível fazer e comer, fazer e comer sem se estabanar toda e perder a graça da refeição. Quer saber de uma coisa? Não vale a pena fazer crepes em casa (na minha opinião, claro). Sou mais dar um pulinho na crêperie mais próxima e observar o trabalho dos cozinheiros do conforto da minha mesa.

Mas estava com toda essa farinha dando sopa em casa. Adorei a idéia do bolo, pois acho o sabor do sarraceno mesmo interessante, e com a adição de amêndoas a massa ficou perfumadíssima. O bolo saiu macio e levíssimo, para minha surpresa, que esperava uma coisa mais densa. Como diz Melissa, a autora do Traveler's Lunchbox, é um bolo sem muitos atrativos, mas a companhia ideal para aquela xícara de café de manhã ou no meio da tarde. A receita está no site dela.

2 comentários:

Fabrícia disse...

Lud...adorei. Tb prefiro olhar fazer crêpes .... tenho um francês especialista nisso aqui em casa....bom demais.
Bjcas.

lunalestrie disse...

Pena que teus crepes não deram certo, queria muito ver como ficariam, estou numa fase de crepes. Na minha cidade não encontro essa farinha, mas já tentei fazer com trigo integral e não ficou muito interessante, rs.
Beijinho!

P.S. Acabei passeando por quase todas as postagens, o Gaston é fofo, parece o meu Mael. :)