quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

A vida de Julia na França

Minha admiração pela vida e carreira de Julia Child já é pública e notória neste blog. Então vou tentar não me repetir muito e falar apenas do livro My Life in France, que conta os anos em que ela e o marido, Paul Child, moraram em Paris e arredores, e que basicamente fizeram de Julia, Julia. Ela descreve com riqueza de detalhes o primeiro prato que comeu em território francês - um sole meunière perto do porto onde o navio deles aportou -, cujo sabor e simplicidade fizeram um "clic" em seu espírito; e desde então ela passou a entregar-se à nem sempre doce tarefa de tornar-se tão boa cozinheira quanto o melhor dos chefs franceses. Mas isso, para uma americana já não muito jovem, na França da década de 40, não foi tarefa fácil e o livro conta as incontáveis batalhas de Julia com o idioma, os costumes, os ingredientes, o machismo, a xenofobia.

Em seguida ela conta tintim-por-tintim sobre o processo de escritura do Mastering the Art of French Cooking, que rapidamente tornou-se um dos livros mais importantes do mundo da culinária. Desde a difícil seleção das receitas, até a fase enlouquecedora de testes (Julia conta que comeu umas duas galinhas inteiras no mesmo dia testando uma receita!), as brigas com os incrédulos editores, as diferenças de personalidade entre ela e as co-autoras francesas, foram mais de dez anos de labuta, resumidos de modo genial no livro. Quando Mastering é finalmente publicado o leitor sente aquele alívio gostoso de um final feliz.

Para quem gosta de comida e especialmente de Julia, esta é uma leitura obrigatória. Mas ele é também um importante documento sobre a vida de um casal mais ou menos ordinário naquela época, entregue às aventuras de uma vida totalmente nova num país estrangeiro. Talvez por estar eu numa situação parecida, me identifiquei muito com alguns aspectos da narrativa (guardadas as devidas proporções, lógico), pois também tive que enfrentar alguns destes problemas, e também tive o mesmo "clic" proporcionado por estar numa cidade de foodies que mudou o modo como eu encaro comida hoje em dia.

My Life in France é também uma leitura altamente inspiradora, sobre uma mulher que lutou contra adversidades mis para perseguir seu grande sonho, e prosperou. Não é à toa que sua história vai virar filme. Mas eu, se fosse você, não esperava pelo filme e ia logo lendo o livro!

3 comentários:

raquel disse...

Santa Mãe!
Todas as blogueiras de comida gostam dessa Julia Child...estou ficando curiosíssima para conhecê-la também!
Lud, vc descreveu o livro de uma maneira muito atraente.
Será que chega quando no Brasil?
Bjs!

fezoca disse...

Vamos formar o grupo das Childettes! ;-))

Tambem me identifico muito com essa mulher, em muitas aspectos. Alias, eu sou uma Zelig mesmo, me identifico com todas as minhas musas, acho que todas elas tem um pouco de mim ou eu um pouco delas. Por isso sao minhas musas! :-)

A capa desse livro eh o que ha, nao? Sempre me faz sorrir, a colagem com coracoeszinhos, acho que feita pelo Paul. Me comovo quando leio que durante as apresentacoes dela, ele lavava toda a louça depois. Um amoreco!

Assim que acabar de ler o livro da Judith, que esta indo rapido, vou voltar pro My Life in France.

beijao, Lud!

Ludmila Carvalho disse...

Raquel, este livro não é um lançamento, mas espero que com todo o hype em torno do lançamento de "Julie e Julia" que eles terminem lançando este também no Brasil. Tomara!

Fer, o Paul era um fofo mesmo, e essa idéia dos cartões de Valentine's Day vale ser copiada! Estou pensando em fazer meus próprios cartões com Luiz inspirada nos deles :-)