quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

A meal to remember

Ontem eu e Luiz comemoramos três anos de casamento, e decidimos trocar os tradicionais presentes por um jantar mais indulgente num restaurante francês chamado La Montée de Lait. Gastamos três vezes mais do que normalmente costumamos gastar nnum jantar, mas valeu cada centavo, especialmente por tratar-se de uma ocasião especial. Pena que não tiramos nenhuma foto - até levei a câmera antiga, que é menor e mais discreta, só para chegar lá e descobrir que estava sem bateria (damn it!). Bem, esse jantar vai ter que ficar só na memória mesmo (o que não vai ser muito difícil).

Já virou até clichê criticar a cozinha francesa por servir pratos minúsculos, mas eu nunca saí de um restaurante desses com o estômago vazio. As pessoas confundem moderação com escassez, mas a verdade é que, com pratos menores, você pode comer mais variedade sem sentir-se empanturrado ou com a consciência pesada. Eu prefiro comer três ou quatro pratinhos pequenos e elegantes do que um pratão de steak e batata frita qualquer dia - esse é, aliás, o tão comentado segredo dos franceses, que os americanos não entendem nunca (como pode, eles comem de tudo, pão, vinho, queijos, carne vermelha, e não têm os mesmos problemas de obesidade que a gente?)

Outra coisa que amo no restaurante francês é o serviço. Paga-se caro, é verdade, mas o cliente é tratado como rei. O garçom é gentil e prestativo sem ser frio ou insistente, entende da comida e dá sugestões preciosas sobre pratos e vinhos. Ontem pedimos o especial de quatro pratos, que podia ser qualqer combinação desejada entre os pratos salgados, tábuas de queijos e sobremesas. Luiz foi bem carnívoro e pediu um prato de peixe com um vegetal (novidade pra mim) chamado salsify, um vitelo e pato confit com mousse de fois gras. Eu pedi um prato de queijo de cabra sobre uma panqueca de berinjela, um porco assado com melaço, um prato de queijos e sobremesa.

O La Montée de Lait é um restaurante pequeno, no início era apenas um bar de queijos e vinhos, mas eventualmente foi a qualidade da comida que colocou-o no mapa dos lugares gourmets de Montréal. A decoração é simples, a música agradável, a apresentação dos pratos impecável e a comida e o serviço, como disse, especiais. Chegamos lá às 20h, saímos às 23h30 junto com os últimos clientes, satisfeitos e felizes - uma verdadeira experiência.

4 comentários:

Fabrícia disse...

Parabéns ao casal pelo aniversário de casamento. Que belo presente ......
Todos os anos tb nos damos de presente um delicioso jantar.
Dica excelente do restaurante....
Grande bj.

Agdah disse...

Menina, sabe que nunca comi num restaurante francês?

Ludmila Carvalho disse...

Agdá, menina, experimenta ir um dia desses. Acho que você vai gostar.

fezoca disse...

Lud, parabens pra voce e Luis! Muitos e muitos anos de felicidade pra voces! :-)

Sempre gostei de comemorar essa data tambem, que com o passar dos anos vai ficando mais e mais importante, vai ficando preciosa!

Eu e o Uriel sempre brindamos a nossa tolerancia--obrigada por me aturar! ha ha ha!

Quanto as porcoes pequenas, concordo mil porcento. Eh incrivel como as porcoes pequenas em varios courses satisfazem. Muito melhor que sair estufada do restaurante, se sentindo um balao, arrotando temperos.. Eca! So que a porcao nao precisa vir num DEDAL, como num restaurante que eu fui outro dia. Se bem que a sopa que enchia o dedal estava saborosissima! :-)

um beijo,