sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Hora do chá

Cascata com o caractere de "chá" no museu do chá em Hangzhou

Cerimônia do chá em Beijing

Chá é uma obsessão na China. Sabe futebol no Brasil e vinho na França? É mais ou menos nesse nível de obsessividade. Bebe-se chá em toda e qualquer ocasião, em qualquer época do ano, de qualquer jeito. Qualquer chinês que se preze sabe tudo sobre a qualidade de cada folha, os usos e aplicações medicinais das mesmas, a temperatura correta da água, o modo de preparo e por aí vai.

O pior é que a febre é contagiante. E eu, que até pouco tempo atrás nem sequer bebia chá, me peguei entrando e saindo de lojas e comparando os cheiros e cores das ervas, namorando conjuntinhos de louça absolutamente adoráveis, discutindo se o chá pu-er (ruim de gosto mas bom para a saúde) é melhor que o chá jasmim (doce e cheiroso mas sem vantagens medicinais), visitando casas de chá no meio da tarde.

O ponto alto da minha "febre do chá" foi uma visita ao museu do chá em Hangzhou, que se mostrou um programão ao contrário do que parecia a princípio. No topo de uma montanha, entre plantações de chá verde que exalavam seu distinto cheiro a quilômetros de distância, aprendemos mais sobre as procedências e usos das diferentes ervas, a diferença entre o chá chinês e o chá inglês (o chá é considerado uma das maiores e mais fortes contribuições chinesas para o mundo ocidental, daí tanto orgulho), e - o que mais me interessou - os diferentes costumes sociais envolvidos no ritual, porque beber chá é, sobretudo, um ato social.

Não virei uma entendedora do assunto de uma hora para outra (também não faço questão de entrar em alguns purismos milimétricos que beiram a frescura), mas confesso que a imersão deixou, sim, suas discretas marcas. Já estou inclusive prevendo visitas regulares à Chinatown assim que o meu estoque de chá jasmim terminar...

Chá jasmim, o mais perfumado

Chá de rosas, perfumado e naturalmente doce

Chá de frutas, mistura de suco e chá

Plantação de chá "dragon well" em Hangzhou

Conjunto de chá engraçadinho em exposição em Hong Kong

2 comentários:

Katita disse...

Entrei pra dar um beijo e encontro essa preciosidade de cobertura oriental! Linda cobertura, Lud. Adorei isso.
Beijo carinhoso de olhinho puxado procê e pro Luiz.
K.

Agdah disse...

Hong Kong também? Ave Maria, correu sete freguesias, hein??? Você gostou daquele tal de Oolong?