quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Salada com queijo de cabra em pacotinhos de phyllo


Esta é uma versão fancy e ligeiramente complicada da clássica salade de chèvre chaud, ou salada com queijo de cabra morno. O queijo de cabra é cortado em discos e enrolado em fatias da finíssima massa phyllo, depois assado no forno até a massa dourar e o queijo começar a derreter. A receita foi retirada do livro Barefoot Contessa Back to Basics, de Ina Garten.

Esta foi a primeira vez que usei a massa phyllo, e confesso que achei todo o processo mais complicado do que eu gostaria. Primeiro, a massa é tão fina, mas tão fina, que fica praticamente impossível manusea-la sem quebrar. Depois, é preciso cobrir as folhas que não estão sendo usadas com um pano úmido para não secar. E terceiro, é preciso trabalhar muito rápido, o que não ajuda em nada se você é um pouco atrapalhada.

Eu usei quatro folhas de massa para fazer seis pacotinhos de queijo de cabra. Cada folha deve ser pincelada com bastante manteiga derretida antes de sobrepor a próxima folha, para que uma grude na outra e não despedace depois. Quando as quatro folhas estiverem prontas, corte em seis quadrados e coloque um disco do queijo de cabra no centro de cada quadrado. Depois enrole o pedaço de queijo com a massa, torcendo as pontas para fazer um pacotinho. Meus pacotinhos ficaram horrorosos, em nada parecidos com os do livro.

Pincele os pacotinhos de queijo com mais manteiga e leve ao forno médio por uns vinte minutos, até a massa phyllo começar a dourar levemente. Sirva quente com uma salada de folhas verdes. Eu fiz a vinagrete com o azeite de nozes e achei diniva.

4 comentários:

Fred Rodrigues disse...

O sabor pode não ser dor melhores (eu duvido muito), mas a aparência de todas as suas "aventuras" são excelentes...

Eu fico surpreso com tanta coisa que você consegui fazer, mesmo sempre dizendo que não tem a mínima habilidade... Além do mais você está no Canadá, pra mim ai só fazia frio e muito tinha gelo.

A dona da cozinha disse...

Lud,
a primeira vez que experimentei um pedaço de queijo de cabra, não consegui partir para o segundo, simplesmente porque, o gosto me remetia ao cheiro do bode in-su-por-tá-vel que mora aqui na fazenda e que já sapateou em cima do capô do meu carro.
depois disso já tentei denovo com umas bolinhas bem parecidas com queijo de búfala que o produtor me jurou não ter aquele gosto, porque as cabras ficavam separadas do bode e aí então não passava o sabor [do cheiro] para o leite, mas ainda tinha um pouco, quer dizer, esse é o sabor do queijo de cabra!!
mas não desisto de procurar o queijo de cabra ideal!![eu quero gostar de queijo de cabra!!] rsrs
b-jokas,Paula

Ludmila Carvalho disse...

Fred, eu nunca disse que o sabor não era dos melhores, até porque adoro queijo de cabra e para mim esta salada é uma das melhores que existem. Mas de verdade os "pacotinhos" ficaram meio feinhos, devido à minha inexperiência com a massa phyllo que é muito delicada.

Olha, aqui no Canadá faz muito frio sim e tem muito (muuuito) gelo, mas também tem muita gente que gosta de cozinhar, além de ingredientes e restaurantes do mundo inteiro. Nesses aspecto não tenho do que reclamar, heheheheh!!
Beijos,
Lud

Ludmila Carvalho disse...

Paulinha, tenho amigos que também têm essa mesma "aversão" ao queijo de cabra, e confesso que para mim é difícil imaginar (também, nunca tive perto de mim um bode fedentino e sapateador, hehehhe). Eu simplesmente adoro queijo de cabra, desde o molinho e mais azedinho até os mais envelhecidos e que derretem maravilhosamente. Já comeu desses? O gosto é menos forte e mais profundo, se é que isso faz sentido. Mas continua tentando :-)
Beijos,
Lud