quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Sopa de mandioquinha com pêra e alho assado


Esta semana chegaram umas figurinhas estranhas na cesta orgânica - eu já as tinha visto na TV e na feira, mas nunca havia cozinhado uma. Sabia que se chamavam parsnips (ou panais em francês), que eram as primas louras, pálidas e doces da cenoura. Procurando pelo correspondente em português, encontrei respostas dúbias: alguns dizem que é mandioquinha, enquanto outros dizem que não é exatamente mas pode ser substituída sem maiores problemas.

Então fui procurar o que fazer com as quase-mandioquinhas, pensando numa sopa já que o clima estava propenso e, se elas são mesmo primas da cenoura devem se comportar muito bem numa sopa cremosa. Numa rápida pesquisa pelo google e pelos food blogs da vida, descobri que a quase-mandioquinha quase sempre é combinada com uma outra figurinha que tinha aparecido na minha cesta da semana: a pêra. Mas como assim, fruta doce com legume de raiz doce? Isso não pode estar certo, pensei.

Mas depois de ler umas três ou quatro receitas diferentes me convenci de que talvez fizesse sentido sim. Afinal de contas, os dois legumes estão no auge nessa época do ano, e é apenas natural que se combine produtos da mesma época. Também não é nada estranho por aqui usar as frutas da estação, como pêras e maçãs, em pratos salgados. Apesar de não ser muito a minha praia, decidi dar uma chance ao diferente.


Para mim o segredo do sucesso desta receita está no assar dos legumes, é o que dá essa outra dimensão à sopa e que, sem isso, talvez fique doce demais. Eu peguei umas cinco parsnips médias, descasquei e cortei em pedaços grosseiros. Coloquei numa assadeira com uma cebola média cortada em quatro pedaços e dois dentes de alho inteiros, na casca. Temperei tudo com sal, pimenta e azeite e levei para assar em forno alto (375F) por 25-30 minutos.

Depois disso, deixei os legumes esfriarem alguns minutinhos, retirei o alho assado de dentro da casca e coloquei tudo numa panela funda. Descasquei uma pêra média, cortei em cubinhos e coloquei na panela. Coloquei novamente sal, pimenta e uma pitada de tomilho seco. Coloquei caldo de legumes até cobrir os ingredientes (duas xícaras e meia), tampei a panela e acendi o fogo. Deixei cozinhar por vinte minutos e depois passei tudo no processador até ficar bem cremoso.

A sopa ficou extremamente saborosa e de gosto complexo, requintado. Em cada colherada era possível sentir o doce da pêra, o salgado da mandioquinha e da cebola, o doce-apimentado do alho assado, o gosto do tomilho, tudo ao mesmo tempo. Eu confesso que não tomaria dois potes cheios desta sopa, mas certamente a faria novamente como entrada numa refeição ou num jantar outonal.

4 comentários:

Anônimo disse...

Lud
Está com uma cara otima e fiquei com agua na boca!!!
Voce achou o sabor da parsnips parecido com o da mandioquinha? Será que dá certo fazer com mandioquinha?
Bjs
Vitoria

elisabete disse...

Em Portugal dá-se o nome de Cherovia... é uma especialidade que vai ter direito a Festival (http://www.covadabeira.eu/index.html), na Covilhã, no próximo fim-de-semana.
Elisabete

Anônimo disse...

LUD: costumo fazer o pure com a mandioquinha...quem sabe da certo com esta aí???? se tiver coragem, experimenta um dia.
beijos da sua mami

Rodolfo S. Filho disse...

Eu já fiz purê de mandioquinha algumas vezes: basicamente a mesma coisa que o de batatas.

Também já fiz sopa, mais simples que a sua. Cozinho a mandioquinha, bato no liquidificador com caldo de frango ou carne e aí é só temperar!

Uma vez, há muitos anos, tomei uma sopa de mandioquinha em Campos do Jordão que ficou profundamente marcada na miha memória. Queria repetir.