quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Essência de baunilha caseira


Uma das coisas que eu mais estranhei na volta à Salvador foi não encontrar baunilha nos mercados. Vasculhei todas as lojas gourmet, mercadinhos e feiras livres, mas não encontrei nadinha de nada, nem as favas, nem sequer a essência de baunilha verdadeira, só a artificial baratinha. Será que os chefs pâtissiers de todos os restaurantes da cidade são obrigados a importar suas baunilhas? Ou será que eles usam a essência artificial baratinha? Espero mesmo para o bem da nação que a resposta seja opção número um.

Bem, eu que não sou boba nem nada descolei umas baunilhas em fava no mercado municipal de Curitiba (que é maravilhoso por sinal) e voltei para casa decidida a fazer minha própria essência. Já havia lido em algum lugar que era fácil de fazer, que bastava acrescentar ums bebida alcoólica qualquer e esperar um bom tempo, mas eu não sabia que era assim tão fácil.

Literalmente, basta acrescentar três favas de baunilha (faça um corte nas favas para expor as sementinhas) a um copo de alguma bebida alcoólica neutra (nas muitas receitas que li a vodka e o rum predominavam, mas eu fui de cachaça mesmo que era o que tinha disponível) num pote hermeticamente fechado (e de preferência esterilizado com água fervente), e guardar por oito semanas num lugar seco e escuro. De vez em quando, dê uma sacudida para incentivar a baunilha a dominar o álcool.

Em poucos dias a minha essência já estava bem escura, sinal de que estava funcionando, e agora só me resta esperar pelas oito semanas para provar se funcionou mesmo. O melhor dessa receita - além de ser extremamente fácil e econômica - é que a essência não acaba nunca. É só você ir acrescentando mais bebida à medida que for usando, e sempre que usar uma baunilha lembrar de colocar a fava ali dentro. Genial, não?

12 comentários:

Ariane Seixas disse...

Essência de baunilha caseira é tudo de bom!!!!

Faço a minha tbm com rum

http://lunettesrouges.blogspot.com/2009/03/homemade-vanilla.html

Beta disse...

Lud, eu não achei nada bom não...fiquei empolgadíssima pra fazer e fiz e ficou lindona como a sua, mas o gosto, bem o gosto ficou mesmo foi de cachaça...talvez a vodka seja mesmo a mais recomendada e olha que tasquei 2 favas inteirinhas la dentro...raiva decepção e tudo o mais passaram pela minha cabeça, mas como sou teimosa, eu deixei ela lá esquecida e quem sabe em um ano ela fique melhorzinha...espero que tenha mais sorte! SObre os patissiers eu acho mesmo que ele usam da essencia baratinha mesmo, essa coisa de produtos de qualidade e qualidade final do produto é coisa do pessoal lá do hemisfério norte, o brasileiro aceita qualquer porcaria.Um beijo Roberta

Sobre a autora disse...

Xi Roberta, será? Quanto tempo você deixou a baunilha lá? A minha só vou saber se funcionou em oito semanas, no mínimo...
Beijos,
Ludmila

Sobre a autora disse...

Oi Ariane, seu blog me encheu de saudades de Montreal! Fiz meu doutorado aí e voltei em setembro do ano passado.

Beijos,
Ludmila

lunalestrie disse...

Talvez um belo dia você acabe encontrando. Aqui em Fortaleza eu demorei muito pra achar, só quando descobri as lojas especializadas em confeitaria. Outro lugar que dá pra encontrar são nas lojas Mundo Verde, não sei se tem por aí. Eles vendem uma baunilha orgânica, tanto em fava quanto em essência. Agora pra fazer o extrato em casa, o melhor mesmo é o álcool de cereais ou a vodka. Bj!

tássia disse...

Lu, por favor, mais um help:
não tô achando em Salvador forminhas de papel para muffins. Já procurei na Le Biscuit, Perini, supermercados diversos e nada. Alguma ideia? Beijos, Tassinha.

Claudia disse...

Gostaria de fazer um comentário, eu chamaria o que você está fazendo com as favas de baunilha de extrato, extrato natural de baunilha e não de essência.

Essências estão sem dúvida relacionadas ao processamento e ao beneficiamento dos óleos essenciais, claro, mas o fato de dissolver os "óleos" de uma planta no álcool faz do produto um extrato natural. O termo essência está muito ligado a indústria de produtos sintéticos, de essências artificiais...

Pessoalmente eu acho que chamar de extrato coloca a ênfase no lado natural do produto e acentua a diferença entre o produto que você faz em casa com a essência sintética (artificial) do super mercado.

Enfim, mil coisas...

C.

Ludmila Carvalho disse...

Olá Cláudia,
Obrigada pelo esclarecimento. Ao escrever o post fiquei na dúvida entre essência e extrato, e sem achar uma resposta, terminei achando que os termos eram intercambiáveis. Mas agora você esclareceu tudo direitinho, obrigada.
Um abraço,
Ludmila.

Anônimo disse...

Olá!

Agradeço às dicas sobre ESSÊNCIAS DE BAUNILHA...bem úteis!
Encontrei tal site/blog quando procurava por tal. Afinal, existe tal essência em lojas do gênero (e me desculpe(m) minha ignorância!)? É que faço algumas técnicas artesanais (e uma destas são VELAS) - inclusive, farei uma com uma foto de baunilha com tal aroma; ficará super bacana!
E, 'retribuindo' à dica: existe "chá" do tal sabor - comprei um há alguns dias; muito bom!
*É da marca "Prenda" (vem em uma caixa branca, com a imagem de um 'beija flor').

Saudações "aromáticas",
Rodrigo O. Rosa (Porto Alegre)

E-mail: rodrigo_poa@ig.com.br
Blog: rodrigo-arte.blogspot.com/
Site: estou tentando criar um.

Anônimo disse...

ola, eu fiz com baunilha de bourbon deixando 1 semana mais fica com cheiro esquisito, nao tem cheiro igual da essencia de baunilha ,pq?

Anônimo disse...

Olá, gostaria de saber se deu certo o seu extrato ;)
Você tem twitter?
Muito bom seu blog, vou dar uma navegada.

MARA ZEI disse...

EU FOÇO A ESSENCIA DE BAUNILHA TBM FAÇO O AÇUCAR BAUNILHADO P 5 KS DE AÇUCAR 5 FAVOS DE BAUNILHA DEIXE EMBRULHADO E GUARDADDO POR 3 MESES JENTE É OTIMO P BOLOS, BOLACHAS .CREMES